dieta low carb ou low fat dieta low carb ou low fat

Dieta low carb ou low fat? Entenda a diferença

6 minutos para ler

Você já ouviu falar em dieta low carb ou low fat? Elas dizem respeito à quantidade consumida de carboidrato ou gordura para que o organismo se mantenha mais saudável. Isso porque esses dois nutrientes são comumente associados ao ganho de peso, que pode aumentar o risco para inúmeras doenças.

De qualquer maneira, é fundamental saber que as dietas não podem ser universais. Isto é, elas devem ser preparadas conforme os desejos e as necessidades de cada indivíduo. Então, não é possível definir qual das opções mencionadas é a mais adequada. Entretanto, é válido conhecer as características de cada uma delas e suas ações no corpo.

Pensando nisso, preparamos este post para esclarecer as principais dúvidas a respeito da dieta low carb e low fat. Tem interesse no assunto? Continue conosco e saiba mais!

O que é a dieta low carb?

Low carb quer dizer baixo carboidrato, traduzido para o português literal. Assim, a ideia é que a dieta se baseie no baixo consumo desse nutriente para impulsionar o emagrecimento. O recomendado é que o indivíduo tenha uma ingestão inferior a 200 g por dia de carboidrato.

Para compensar, a recomendação é que haja um consumo mais elevado de proteínas e gorduras. A primeira contribui para a elevação da saciedade e a manutenção da massa magra. A segunda, quando consumida de forma equilibrada, é importante para a prevenção de doenças cardiovasculares e a melhoria da circulação sanguínea.

Outro ponto positivo no consumo de mais proteínas e gorduras, além da restrição de carboidrato, é a menor produção de insulina que isso pode proporcionar. Esse hormônio é fundamental para o transporte de glicose no sangue, o que fornece energia ao corpo. Porém, a maior secreção de insulina leva à maior existência de glicose nas células, o que favorece o acúmulo de gordura.

Principais fontes de carboidrato

Diante desse contexto, quem for adepto da dieta low carb precisa controlar o consumo do carboidrato. As principais fontes desse nutriente são:

  • pães e massas;
  • arroz;
  • batata inglesa;
  • batata-doce;
  • milho;
  • inhame;
  • aveia;
  • etc.

O que é a dieta low fat?

A dieta low fat foca na redução de gorduras do consumo diário, como a tradução do termo para o português literal sugere. Antigamente, ela costumava ser mais popular, mas perdeu espaço para a dieta low carb. Todavia, ainda existem muitos adeptos.

As necessidades diárias são de que 45 a 65% do consumo diário venha de carboidratos, 10 a 35% de proteínas e de 20 a 35% restantes de gorduras. A exceção fica por conta dos atletas, que podem consumir uma quantidade mais elevada de carboidrato, o que é útil na recuperação muscular e potencialização do desempenho.

Principais fontes de gordura

Como visto, as gorduras precisam ser restringidas na dieta low fat. Diante disso, conheça quais são as principais fontes desse nutriente e que devem ter o consumo controlado:

  • ovos;
  • chocolate;
  • carne de porco;
  • linhaça;
  • castanha;
  • azeitona;
  • azeite de oliva;
  • abacate;
  • etc.

O que a melhor dieta precisa ter?

Após conhecer a definição de dieta low carb e low fat, é natural se perguntar qual a melhor opção. Então, acompanhe a seguir o que a melhor dieta precisa ter!

Estratégias personalizadas

Existem diversos fatores que podem interferir no aumento de peso. É por razões como essas que alguém que come muito pode ser abaixo do peso e outra pessoa que segue uma prática diferente não. Isso tem relação com a genética de cada um, além dos níveis de insulina que podem favorecer o ganho de gordura e os micro-organismos encontrados no corpo.

Diante disso, é indispensável criar estratégias personalizadas ao montar a dieta e ao conseguir o emagrecimento. Afinal, cada organismo é único e funciona de forma específica. Logo, pensar em dietas universais pode não oferecer bons resultados.

Informações do código genético

Como visto, cada organismo reage de forma diferente à dieta. Um dos fatores que interferem nisso é a genética. Desse modo, é importante utilizar o código genético de cada pessoa para montar um plano alimentar. 

Assim, se o seu corpo metaboliza o carboidrato mais lentamente, a tendência de ganho de peso é maior. Então, pode ser a melhor saída limitar o consumo desse nutriente para alcançar o emagrecimento saudável. A mesma lógica pode ser seguida por quem apresenta um maior risco de hipertensão arterial. Afinal, o consumo de carboidrato pode elevar o problema.

Gostos individuais

As preferências de cada pessoa também devem ser consideradas ao montar uma dieta. Isto é, se você gosta e tem o costume de comer pão diariamente, conseguirá cortar esse alimento da rotina? Na verdade, a maior probabilidade é que esse novo hábito aumente a irritabilidade e leve à desistência no médio e longo prazo.

Diante disso, é preciso equilibrar os aspectos já citados com os gostos de cada um para facilitar a adaptação à dieta.

Hábitos de vida individuais

Tenha sempre em mente que o que funcionou para o vizinho ou parente pode não ter os mesmos resultados na sua vida. Isso porque cada pessoa tem suas particularidades, como os hábitos de vida. Por exemplo, quem realiza atividades de alta intensidade diariamente precisa de mais energia para o corpo. 

Um dos principais nutrientes que fornecem energia é o carboidrato. Então, cortá-lo tende a reduzir o desempenho dos indivíduos nas atividades e a contribuir para o enfraquecimento muscular. Isso pode envolver atletas profissionais, praticantes de atividades físicas intensas, pedreiros, serventes etc.

Quais cuidados a serem tomados?

Além de seguir uma dieta de acordo com as necessidades individuais, é importante evitar o consumo excessivo de gordura saturada, principalmente na dieta low carb. A mesma lógica serve para o aumento da ingestão de grãos refinados ou açúcar na dieta low fat. Tudo isso prejudica o emagrecimento saudável e pode favorecer o surgimento de doenças.

Assim, seja qual for a sua escolha, dieta low carb ou low fat, é indispensável tomar certos cuidados. Além dos mencionados, é válido aumentar o consumo de vegetais e reduzir o de alimentos ultraprocessados. Ainda, é indispensável contar com a ajuda e a supervisão de profissionais para a manutenção da saúde.

Quer continuar aprendendo sobre estilo de vida saudável? Aproveite a visita e confira alguns exercícios rápidos e eficientes para fazer em casa!

Posts relacionados

Deixe um comentário